A criança interior .



A quando crescemos, as vezes perdemos, as vezes ganhamos, nem sempre entendemos, mas, aprendemos a seguir em frente mesmo assim. Não que seja muito, mais que seja forte. Devemos cuidar da criança interior, não igualar a uma criança, mas, continuar com a ternura no olhar.
Não esquecendo de brincar com as coisas mais simples. Seguindo em frente um caminho “adulto” porém brincando de gente grande. Quando deixamos a criança de lado dentro de nós, deixamos a ternura ausente, esquecemos de levar a vida como uma “brisa”. Nos tornamos pessoas com um “relógio na cabeça” perdemos o  pôr-do-sol, os pássaros a cantar e até mesmo a leveza no olhar. Procure sua criança interior e compare a criança do passado, veja o que ela se tornou, doce ou amarga? Páginas por páginas, a história continua, mude um capítulo, mude o fim, não perca o “tema principal” mude do drama a comédia, acrescenta personagens felizes, dias de amor, cheio de luz, e terás um belo livro .

Pâmella Ferracini, Autora.


6 Comentários

  1. PERFEITO O BLOG, que isso? muito lindo cada texto. amei de verdade. quando puder passa no a place to breathe. tive sumida, mas to de volta (http://keilafrancielins.blogspot.com/) beeijos linda.

    ResponderExcluir
  2. Acredito que continuar a ser criança é levar para sempre a ternura no olhar e a sinceridade nas palavras.

    Belo texto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo, assim que devemos nos conservar, sempre ter dentro de nós uma criança interior viva e que transmite ternura....Bela postagem ainda mais para os dias das crianças, temos que nos lembrar que também temos um lado criança.rsrsrs

    Abraços e uma ótima tarde! =D

    ResponderExcluir
  4. Fran, verdade, e que bom que cultiva a criança hehe

    ResponderExcluir